Suzana Amaral
Cineasta. Ela é formada pela USP e pós-graduada em Nova York. Durante a década de 1970, realizou diversos curtas-metragens, mas se consagrou em 1985 com: A Hora da Estrela, baseado no romance homônimo de Clarice Lispector. Prepara a adaptação de Hotel Atlântico, livro de João Gilberto Noll.

Ouça a entrevista em podcast:*
(ou clique aqui para baixar o arquivo em mp3)
(aprox. 6-8 MB)
 
Confira a primeira parte da entrevista.
 
* Para ouvir é necessário ter instalado o iTunes ou versão atualizada do Windows Media Player (ou outro programa que execute mp3).
 
Veja no JOGO RÁPIDO os livros marcantes para Suzana Amaral citados no programa:
Na sua adaptação para o cinema, quem você matou no romance da Clarice: A Hora da Estrela?
No romance dela, logo no início, tinha um narrador e o mesmo era um artifício literário e achei que para o cinema não teria resultado, então eu aboli o narrador.

Você disse no Festival que gostava de livros fininhos... Rs!
Quando o livro é muito grande, não sobra muito espaço para o roteirista se colocar. Um livro fino tem mais condensado o seu essencial e é em cima disto que eu quero adaptar conforme a minha imagem e semelhança.

Você acha que a Clarice Lispector foi precursora neste tipo de literatura mais pessoal e intimista?
A literatura de Clarice é intimista; de clima de subtextos com personagens e situações. Tínhamos que criar situações concretas para seus textos etéreos.

Quais livros marcaram a sua carreira?
D. Quixote de Cervantes.

Autor norte-americano que você recomendaria
Babbitt de Sinclair Lewis.

Você teve 9 filhos. Você lia para eles?
Não. Eu sempre inventei muitas histórias para eles, principalmente para os meus netos.
 


 
       
©2007-2008 Mona Dorf / Rádio Eldorado
Todos os direitos reservados