Sonia Manski
Paulistana, formada em arquitetura pela FAU/USP e em psicologia pela UNIP, trabalha na Secretaria de Estado da Cultura, em São Paulo, desde 1982. Publicou os livros Sem-cerimônia (editora Ágora, 2002) e Meus queridos cavalheiros (editora A Girafa). Jurada do prêmio Jabuti, também escreve crônicas, uma delas premiada pela Revista da Folha em 2006.

Ouça a entrevista em podcast:*
(ou clique aqui para baixar o arquivo em mp3)
(aprox. 6-8 MB)
 
Confira a primeira parte da entrevista.
 
* Para ouvir é necessário ter instalado o iTunes ou versão atualizada do Windows Media Player (ou outro programa que execute mp3).
 
Veja no JOGO RÁPIDO os livros marcantes para Sonia Manski citados no programa:
Livro de cabeceira
É um livro virtual, um dicionário. Consulto diariamente.

Um clássico
O Apanhador no campo de centeio, J. D. Salinger.

Uma descoberta
Mulheres de olhos grandes, de Ángeles Mastretta, uma autora mexicana.

Romance do coração
É um livro de contos: Big loira, de Dorothy Parker. Digamos que sua escrita conversa comigo.

Livro inesquecível
O avesso da vida, de Philip Roth.

Poetas indispensáveis
Fernando Pessoa.

Um Imortal
Machado de Assis.

Literatura brasileira
Nelson Rodrigues.

Título que você sempre quis ler e nunca arrumou tempo
Ensaios, de Montaigne. Hoje mesmo decidi que vai ser agora.

Livro que o seu melhor amigo está lendo
Fica chato falar, mas é o meu: Meus queridos cavalheiros.

Cesta básica
Machado de Assis, Eça de Queiroz, Balzac, Flaubert, Albert Camus, Andre Gide, Dostoievski, Virginia Woolf, Philip Roth, Amós Oz.

Nota de Rodapé
Nunca é tarde para ser o que você poderia ter sido, de Winston Churchill.
 
Mais sobre Sonia Manski na internet:
www.taste.com.br


 
       
©2007-2008 Mona Dorf / Rádio Eldorado
Todos os direitos reservados