Paulo Tatit
Arquiteto de formação e músico autodidata, Paulo foi o principal arranjador do grupo Rumo, destaque da vanguarda musical paulista na década de 80, e foi parceiro de Arnaldo Antunes nos anos 90. Há 12 anos, criou com Sandra Peres o selo Palavra Cantada, por onde lançou diversos CDs com canções suas e de seus amigos e parceiros.
O objetivo é produzir uma música infantil moderna, lúdica e poética. Com onze CDs autorais e quatro DVDs, a dupla já vende mais de 1milhão de cópias, e conquistou um enorme público formado por pais e filhos, e faz parte do cotidiano de inúmeras escolas brasileiras.

Ouça a entrevista em podcast:*
(ou clique aqui para baixar o arquivo em mp3)
(aprox. 6-8 MB)
 
Confira a primeira parte da entrevista.
 
* Para ouvir é necessário ter instalado o iTunes ou versão atualizada do Windows Media Player (ou outro programa que execute mp3).
 
Veja no JOGO RÁPIDO os livros marcantes para Paulo Tatit citados no programa:
Que músicas agradam mais a garotada?
Sopa, O Rato, Pindorama, Criança não trabalha, Menina Moleca, Pé com Pé... As crianças adoram a brincadeira que fazemos com os sons.

Por quê as crianças gostam tanto?
A música precisa ter uma coisa lúdica e forte que a criança identifique como brincadeira, que pode estar na letra brincado e fazendo jogo de palavras. Pode também estar no arranjo, numa palma, bate na perna, ou ter uns tambores bem fortes como é o caso do Pé com pé, são várias coisas mas todas relacionadas ao mundo lúdico e o mundo do humor. Ou seja, a ligação que a criança tem com a música é muito mais sensorial, ligada ao humor e a parte narrativa.

Que escritores você indica pra esse público?
Aqui de São Paulo gosto muito da Ruth Rocha, fizemos até um trabalho juntos que está sendo reeditado pela Melhoramentos chamado Sete histórias de Ruth Rocha, Sete Cações da Palavra Cantada.
Da turma nova eu gosto muito da Graça Lima, Roger Mello, Mariana Massarani, autores infantis que juntam muito bem a linguagem da ilustração com o texto, uma coisa completando a outra e passando uma mensagem clara. Gosto dos desenhos e de como eles contam as histórias, com uma parte lúdica e bem humorada, não ficam tentando ensinar muita coisa que depois acabam virando conteúdos forçados, então são histórias naturais e descontraídas.

Algum livro específico desses autores que você gosta?
Um que eu adoro é Vizinho Vizinha, da Graça Lima, com ilustrações dela, Roger Mello e Mariana Massarani. Com uma mensagem engraçada e poética.

O que você está lendo agora?
Estou lendo dois, Magical Mystery Tour, do Tony Bramwell, que acompanhou a carreira dos Beatles, desde a adolescência. Gosto muito deles, leio tudo.
E estou nas últimas páginas do 1808, do Laurentino Gomes. É um livro maravilhoso que me mostrou como o meu curso de história foi tão fraco.

O que você gosta de ler normalmente?
Um romance, reler Guimarães Rosa que é meu autor preferido... Ou alguma coisa brasileira como Rubem Fonseca.

Livro de cabeceira
Como durmo muito rápido prefiro ter poesia como livro de cabeceira. Estou com o livro da Alice Ruiz chamado Dois em Um, e cada noite leio umas duas poesias.

Obras que não podem faltar na estante de um compositor
Você precisa ter CDs na sua estante, conhecer Geraldo Pereira, Noel Rosa, Lamartine Babo, Dorival Caymmi, Ary Barroso. E para mim, o que me ajuda no trabalho infantil é escutar música étnica de qualquer país.
 


 
       
©2007-2008 Mona Dorf / Rádio Eldorado
Todos os direitos reservados