Marleine Paula Marcondes e Ferreira de Toledo
Professora da USP e de outras instituições, tanto na graduação quanto na pós-graduação, das áreas de Letras, Comunicação e Direito e avaliadora do Ministério da Educação. E além disso, é uma especialista em Milton Hatoum, um dos autores mais citados no programa.

Ouça a entrevista em podcast:*
(ou clique aqui para baixar o arquivo em mp3)
(aprox. 6-8 MB)
 
Confira a primeira parte da entrevista.
 
* Para ouvir é necessário ter instalado o iTunes ou versão atualizada do Windows Media Player (ou outro programa que execute mp3).
 
Veja no JOGO RÁPIDO os livros marcantes para Marleine Paula Marcondes e Ferreira de Toledo citados no programa:
Se tivesse que escolher entre os três livros de Milton Hatoum –Relato de um certo oriente, Dois irmãos ou Cinzas do Norte, ficaria com qual?
"Relato de um certo Oriente", pela densidade dramática e pela técnica de construção do romance. Mas devo dizer a você que a obra que mais agrada aos jovens - e mesmo aos adultos - é "Dois Irmãos".

O melhor da Literatura brasileira
Quatro, considerando a escassez do tempo: Machado de Assis, Euclides da Cunha, Guimarães Rosa, Milton Hatoum.

Autor injustiçado pela história
Antônio Torres, que lançou recentemente "Pelo fundo da agulha".


Livro de crônicas
"200 crônicas escolhidas" ou "As boas coisas da vida", de Rubem Braga.

Uma descoberta recente
Santo Ambrósio, autor do século IV, com o "Hexameron" e "Falando sobre economia a partir de "As vinhas da ira", de Paulo Reis Mourão, professor do departamento de Economia da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho, Portugal.

Talento da nova safra
Luiz Rufatto, que surpreende com Eles eram muitos cavalos, onde conta 70 histórias, por ele chamada de "flashes", da cidade de São Paulo.

Poetas indispensáveis
Olga Savary, Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Camões, Fernando Pessoa, Edgard Allan Poe, uma poeta galega chamada Lupe Gómez.

O melhor da Literatura estrangeira
Ainda fico com os clássicos: Um grego,"Édipo Rei", de Sófocles; um russo, "Crime e castigo", de Dostoievski; um espanhol, "Dom Quixote", de Cervantes; um francês, "Madame Bovary", de Flaubert; um inglês, "Rei Lear", de Shakespeare; um português,"A Castro", de Antônio Ferreira.

Obra para entender mais de literatura
Ainda que um pouco pedante, "O cânone ocidental", de Harold Bloom.

Livro para quem quer começar a ler e não tem muito tempo
A coleção "Para gostar de ler", por abrigar textos curtos. Também Memória de Minhas Putas Tristes (Memoria de mis putas tristes), de Gabriel García Márquez.

Cesta básica de autores
- Mitologias;
- Catálogos de exposições;
- Guias de viagem (não esquecer que o protagonista de "O turista acidental", de Anne Tyler, escrevia guias de viagem, embora detestasse viajar);
- Dicionário da Língua Portuguesa e de outras línguas;
- Os canônicos da Literatura Brasileira e de outras literaturas, pelos ossos do ofício (professora de Literatura tem de ler não tudo, porque é impossível, mas, pelo menos, os melhores).

Nota de rodapé
Fiquei alguns minutos ali perto do jambeiro, divagando, vencida pela indecisão. Sob a copa da árvore, passei a mirar as flores rosadas que cobriam os galhos, as frutas arroxeadas que apodreciam na grama, e senti falta do odor do jasmim branco, que os adultos chamavam Saman, o perfume de um outro tempo..."

Trecho do livro "Relato de um certo Oriente", de Milton Hatoum
 


 
       
©2007-2008 Mona Dorf / Rádio Eldorado
Todos os direitos reservados