Luis Augusto Fischer
Ficcionista, cronista, roteirista e crítico literário. Cursou Letras na UFRGS, onde fez Mestrado e Doutorado, e leciona Literatura Brasileira desde 1985. Escreve regularmente para veículos de imprensa e colabora com a revista Bravo! E o jornal Folha de São Paulo. Publicou diversos livros, entre eles o Dicionário de porto-alegrês, o Dicionário de palavras e expressões estrangeiras. Lançou pela Arquipélago Editorial o Livro Machado e Borges - e outros ensaios sobre Machado de Assis

Ouça a entrevista em podcast:*
(ou clique aqui para baixar o arquivo em mp3)
(aprox. 6-8 MB)
 
Confira a primeira parte da entrevista.
 
* Para ouvir é necessário ter instalado o iTunes ou versão atualizada do Windows Media Player (ou outro programa que execute mp3).
 
Veja no JOGO RÁPIDO os livros marcantes para Luis Augusto Fischer citados no programa:
Você lembra o que seduziu você entrar para o mundo das letras, algum livro, algum autor?
Eu tive convívio com livros e com leitores em casa, o que facilitou tudo. Mas eu virei leitor mesmo foi na adolescência, quando li uma série de
livros que se vendiam em banca, com clássicos mundiais adaptados. Foi ali que tomei contato com Dom Quixote, com a Odisséia, com A ilha do tesouro, quer dizer, com livros de aventura, que toda criança deveria ler para ver como é bom mergulhar num livro.

Que papel a leitura ou a literatura podem desempenhar na vida de uma pessoa?
O papel de respiradouro para livrar a gente do sufoco do cotidiano, o papel de canal de comunicação entre o indivíduo isolado e o que de melhor a alma humana produziu, coletivamente, em todos os tempos.

Autores e livros que conversam com a sua alma
Eu sou leitor contínuo de Machado de Assis, de Jorge Luis Borges, de Franz Kafka, de J. D. Salinger, de Carlos Drummond de Andrade, de Fernando Pessoa. Hoje em dia eu sou leitor entusiasmado de Paul Auster, um grande e inventivo escritor de nossa época.

Livro que você está lendo agora
São vários, como convém a quem gosta de ler. Um deles, que recomendo muito, é um livro de entrevistas concedidas por Vinicius de Moraes entre 1967 e 1979, da editora Azougue.

O que pretende ler
Também como todo leitor, eu preciso aprender a conviver com a angústia de não poder ler tudo que desejo. Na minha lista estão vários livros, por
exemplo a biografia de Jaime Ovalle, escrita por Humberto Werneck.

Antologia de contos que você recomenda
A coletânea de contos de Machado de Assis organizada por John Gledson para a editora Cia. das Letras.

Livros básicos de formação para o estudante de letras
Ih, são muitos, talvez infinitos. Mas é certo que ninguém deveria ganhar diploma de Letras (nem de Jornalismo, nem de História) sem ler Machado e
Borges, mas também Voltaire, Shakespeare, Cervantes, Homero, Balzac.

Um bom livro de crítica literária
Entre os recentes, eu recomendo com ênfase Os leitores de Machado de Assis, de Hélio de Seixas Guimarães.

Romance para o qual você daria o prêmio Jabuti
Assim na terra, de Luiz Sérgio Metz

Autores estrangeiros
Citei o que mais gosto de ler, entre os vivos: Paul Auster
 


 
       
©2007-2008 Mona Dorf / Rádio Eldorado
Todos os direitos reservados