Felipe Senna
Músico. Formado pela Unesp em Composição e Regência. Estuda piano desde os seis anos de idade e já aos quatorze anos era professor. Participou de musicais como: Chicago, O Fantasma da Ópera e foi diretor Musical da montagem brasileira de Os Produtores. Ganhou: Concurso Nacional Ritmo e Som e o Nacional de Composição Camargo Guarnieri. Ele foi diretor musical da ópera: Porgy and Bess no Theatro São Pedro, em SP.

Ouça a entrevista em podcast:*
(ou clique aqui para baixar o arquivo em mp3)
(aprox. 6-8 MB)
 
Confira a primeira parte da entrevista.
 
* Para ouvir é necessário ter instalado o iTunes ou versão atualizada do Windows Media Player (ou outro programa que execute mp3).
 
Veja no JOGO RÁPIDO os livros marcantes para Felipe Senna citados no programa:
Livros marcantes na sua trajetória
Drácula de Bram Stocker.
Estilo e Idéia de Schoenberg.
Studies on the origin of harmonic tonality e Nineteenth Century Music, Between Romanticism and Modernism de Dahlhaus.
Curso e Discurso do Sistema Musical de Maria de Lourdes Sekeff.
Sobre classicismo e romantismo na música de Charles Rosen.
Todas as "eras" de Hobsbawm.
The Vampire Armand de Anne Rice.

O que você está lendo no momento?
Em busca do prato perfeito de Anthony Bourdain.
The History of Orchestration de Adam Carse.
Knowing the Score de David Morgan.

O que pretende ler?
Tales of Music and the Brain de Oliver Sacks.

Gênero predileto
Gosto muito de livros que tratam de gastronomia (técnicos, de ficção, de história...tanto faz). Adoro o tema!

Biografia de um músico que você adora
Adoro Beethoven. A biografia escrita por Solomon é uma que me agradou bastante.

Obra ou autor que mudou sua forma de enxergar o mundo
O homem que confundiu sua mulher com um chapéu; A ilha dos daltônicos e Vendo vozes , todos de Oliver Sacks.

Romance do Coração
O Perfume de Patrick Süskind.

Literatura indispensável
Para músicos: Interpretação da Musica de Thurston Dart.
Para todos: Fome de Paris de Liebling.

Dramaturgos prediletos
Não tenho uma lista... Gosto de histórias bem contadas. Se a narrativa me prende, não paro de ler. Engulo o livro. Se não me prende, paro e não volto nunca mais.

Uma descoberta recente
Le Petit Nicolas Et Les Copains de Goscinny e J. Sempé.
 


 
       
©2007-2008 Mona Dorf / Rádio Eldorado
Todos os direitos reservados