Eliezete de Luna Freire
É uma secretária que de tanto ler acabou virando escritora. Acaba de lançar seu primeiro livro: www.odeiocomputadores.com.br, pela Totalidade Editora.Da completa falta de empatia com os computadores e seus pares, aliada à paixão pela escrita, apresenta algumas crônicas com situações engraçadas vividas por ela ou observadas nos outros, dirigidas aos extremamentes viciados em toda e qualquer tecnologia, bem como aos que como a autora, mantém uma respeitosa distância.

Ouça a entrevista em podcast:*
(ou clique aqui para baixar o arquivo em mp3)
(aprox. 6-8 MB)
 
Confira a primeira parte da entrevista.
 
* Para ouvir é necessário ter instalado o iTunes ou versão atualizada do Windows Media Player (ou outro programa que execute mp3).
 
Veja no JOGO RÁPIDO os livros marcantes para Eliezete de Luna Freire citados no programa:
Livro que está lendo agora
Acabei de ler Caim e Abel (Jeffrey Archer): Romance que fala do amor e ódio entre dois homens que vivem até a velhice com o objetivo único de destruir um ao outro. Envolvente, ágil e com um final surpreendente.

Texto para as horas difíceis
"Os seus problemas não são você. Pesquisar-se em profundidade revelará que eles foram colocados dentro. Eles se relacionam com você que talvez até os alimente ou viva à custa deles: porém eles não são você.Você pode até se explicar ou definir através de seus problemas. Eles podem definir o seu ego. Porém eles não são você: estão com você. (Artur da Távola: Do Amor, Ensaio de Enigma)

Uma descoberta
Arnaldo Jabor (Pornopolítica) Fiquei agradavelmente surpreendida em vê-lo se revelar tão abertamente,sem falso moralismo e sem medo de julgamento. Em especial, fiquei encantada com a crônica: O mandacaru na sala de jantar. Simplesmente lindo.

Livro inesquecível
Cartas a um jovem poeta (Rainer Maria Rilke): Correspondências trocadas entre ele e Franz Xaver Kappus. Poesia e sentimento, do começo ao fim. Para ler e reler, sempre.

Poeta indispensável
Carlos Drummond de Andrade (Adoro o poema Resíduo: … De tudo ficou um pouco. Do meu medo. Do teu asco…)

Literatura Brasileira
Heloneida Studart (Mulher- Objeto de Cama e Mesa) Érico Veríssimo (Um lugar ao Sol) Fernando Sabino (O menino no espelho)Ignácio de Loyola Brandão (Não Verás País Nenhum).

Literatura Estrangeira
Eça de Queiroz (O Primo Basílio) Somerset Maugham(O Fio da Navalha, Um gosto e seis vinténs e O Destino de um Homem – todos ótimos.
Alice Walker (A Cor Púrpura) e A primeira e última liberdade (Krishnamurti)

Cesta básica
A Filha de Mistral (Judith Krantz) Antologia Poética (Vinícius de Moraes) O Mundo Do Sexo (Henry Miller) O Profeta (KAHLIL GIBRAN)
Uma mulher chamada Jackie. (A biografia de Jacqueline Kennedy Onassis – C.David Heymann)

Uma nota de rodapé
"Enquanto houver mulheres alegres ou tristes falando, florando, fluindo e influindo de amor, a humanidade pode ter alguma esperança. Há vida pulsando por baixo do suicídio contemporâneo. Enquanto houver mulheres atrasando o serviço, enganando o poder, driblando os zagueiros da vida para falar de amor ou nele pensar, o mundo está salvo.De amor, ensaio de enigma - Artur da Távola
 


 
       
©2007-2008 Mona Dorf / Rádio Eldorado
Todos os direitos reservados