Branca de Oliveira
Artista plástica. Graduada em Educação Artística pela FAAP com mestrado e Doutorado em Artes Visuais pela ECA. É Professora nos Programas de Graduação e Pós-graduação do Departamento de Artes Plásticas da USP.

Ouça a entrevista em podcast:*
(ou clique aqui para baixar o arquivo em mp3)
(aprox. 6-8 MB)
 
Confira a primeira parte da entrevista.
 
* Para ouvir é necessário ter instalado o iTunes ou versão atualizada do Windows Media Player (ou outro programa que execute mp3).
 
Veja no JOGO RÁPIDO os livros marcantes para Branca de Oliveira citados no programa:
O que você está lendo? E o que você pretende ler?
Livro do Desassossego de Fernando Pessoa, A Máquina de Visão de Paul Virilio e A Era das Máquinas espirituais de Kurzweil.

Livro de cabeceira
Herberto Helder, um poeta português,
O Grande Sertão Veredas, de Guimarães Rosa e
O Sentir, de Mario Perniola.

Uma descoberta
Cartas Exemplares de Gustave Flaubert.

Livro inesquecível
O Processo de Kafka.

Obras que te marcaram
Nunca vou me esquecer de quando, ainda na adolescência, li Servidão Humana de Somerset Maugham. Fiquei quatro dias grudada no livro, praticamente sem dormir, até acabar de ler as suas cerca de 400 páginas. Acho que nunca chorei tanto com um livro. Também não vou esquecer do susto que levei quando lia Orlando de Virginia Woolf e de repente ele virou ela. Li e reli muitas vezes este pedaço de texto, para trás e para frente, com a idéia de decifrar a intenção da autora, no fim achei melhor me dissolver no texto, na subjetividade dos múltiplos sujeitos que a obra constitui e é constituída.

Seus poetas
Manuel Bandeira, Antologia Poética; Régis Bonvicino, Ossos de Borboleta; Paulo Leminski, Envie Meu Dicionário - Cartas e Alguma Crítica;
Haroldo de Campos, Galáxias; Augusto de Campos, Viva Vaia; Fernando Pessoa, Obra Poética; Carlos Drumonnd de Andrade, A Procura da Poesia; Walt Whitman, as poesias dele que fui encontrando pela vida.

Livros da infância/ adolescência
Na infância eu era fissurada pelos contos dos Irmãos Grimm. Em casa tínhamos uma coleção deles
composta de 8 volumes lia-os todos e várias vezes. Já na adolescência gostei de Jubiabá, Jorge Amado; O Cortiço de Aluisio de Azevedo,
Eça de Queiroz com suas histórias que castigavam as mulheres, O Crime do Padre Amaro, O Primo Basílio, isso me fazia ficar atenta às disparidades relativas aos gêneros masculino e feminino.

Um clássico
Hamlet de William Shakespeare.

Romance do coração
Dom Quixote de Miguel de Cervantes.

Literatura brasileira
Toda a obra de Machado de Assis, ela é de uma atualidade incomparável.

Nota de Rodapé (uma linha, um provérbio, um verso)
"Ao exigir do artista uma atitude consciente em relação ao seu trabalho, você tem razão, mas confunde dois conceitos: a solução do problema e a colocação correta do problema. Apenas o segundo é obrigatório para o artista.". Anton Tchekhov
 


 
       
©2007-2008 Mona Dorf / Rádio Eldorado
Todos os direitos reservados