Afonso Borges
Jornalista, escritor, produtor cultural e idealizador do projeto: Sempre Um Papo. Ele tem quatro livros publicados: Retrato de Época, Bandeiras no Varal, Profecia das Minas e Sinal de Contradição – Conversas com Frei Betto, publicado também na Suíça e Argentina. Colaborou nos livros: Chatô – o Rei do Brasil, de Fernando Morais, e O Desatino da Rapaziada – Jornalistas e Escritores em Minas Gerais de Humberto Werneck. (Fotos:Jackson Romanelli)

Ouça a entrevista em podcast:*
(ou clique aqui para baixar o arquivo em mp3)
(aprox. 6-8 MB)
 
Confira a primeira parte da entrevista.
 
* Para ouvir é necessário ter instalado o iTunes ou versão atualizada do Windows Media Player (ou outro programa que execute mp3).
 
Veja no JOGO RÁPIDO os livros marcantes para Afonso Borges citados no programa:
O que você recomenda para o ouvinte da Eldorado?
Em Brasília, 19 horas – A guerra entre a chapa-branca e o direito à informação no primeiro Governo Lula de Eugênio Bucci.

O que você está lendo atualmente?
Equador de Miguel Sousa Tavares.
A Elegância do Ouriço de Muriel Barbery.

O que pretende ler?
1968 o ano que não terminou - O que fizemos de nós? de Zuenir Ventura.

Escritores que você gosta e suas obras
Crime e Castigo de Dostoiévski.
A obra completa de Gabriel García Márquez, Machado de Assis e Guimarães Rosa.

Autores da nova safra
Marcelino Freire.
Fabrício Carpinejar.
Luís Giffoni.

Um título da adolescência
O Meu Pé de Laranja Lima de José Mauro de Vasconcelos.
O que É Isso, Companheiro? de Fernando Gabeira.

Romance do coração
Jorge, Um Brasileiro de Oswaldo França Jr.

Livro de cabeceira
Poesia completa de Fernando Pessoa.
Vinicius de Moraes.
Drummond.

Obra estrangeira
Equador de Miguel Sousa Tavares.

Um imortal
Milton Hatoum.

Texto ou livro ao qual você recorre na hora do apuro
Poesias de Drummond e Pessoa.

Poetas prediletos
Drummond.
Pessoa.
Fabrício Carpinejar.

O que seu melhor amigo está lendo
Raça e Amor - a Saga do Clube Atlético Mineiro de Ricardo Galuppo.

Nota de rodapé
Se você tiver certeza de que vai vacilar, não vacila, decida! Millôr Fernandes

Um evento memorável
O Saramago entrou no Palácio das Artes e a platéia o aplaudiu incessantemente por minutos e ele disse para mim: “Afonso! É a primeira vez que eu ouço o vento dos aplausos, das palmas!”
 
Mais sobre Afonso Borges na internet:
www.sempreumpapo.com.br


 
       
©2007-2008 Mona Dorf / Rádio Eldorado
Todos os direitos reservados